sábado, 12 de fevereiro de 2011

O TRABALHO DA ALDEIA DO TELHADO HÁ 60 ANOS.

Esta aldeia que eu conheço a escassos sete kms desviada do seu conselho de Fundão!..Telhado aldeia com sentimento de sobrevivência muito fortes ligados a faina de agricultores,e oleiros.E como os meus pais sempre moraram no centro da aldeia,e como trabalhava na sua oficina que partilhavam com a habitação,eu sempre me dei de conta daquilo que se passava no largo da aldeia.
Trabalhadores rurais que aqui no centro e largo da praça depois de fazerem uma manhã nas suas propriedades,arrendadas no cultivo de bens essencialmente para a sua alimentação,e agregado familiar!.Conversavam em roda circular esperando que alguém lhes fizeste o convicto para mais um dia de jorna!
Também tinha-mos as olarias,e os oleiros que na época eram muitos,e muito bem me lembro se fazerem nas olarias milhares de tigelas para apanhar a rezina que escoria dos pinheiros que abundavam para a zona conhecida por pinhal interior!.O meu pai como oleiro que era sempre recebeu grandes encomendas dessas peças,se possa ate dizer alguns milhares delas:Como não dava vazão as encomendas tratava de fazer a encomenda repartida pelos irmãos,e não só!..Também por outros oleiros da aldeia.Era sem duvida um fonte de rendimento que provinha da riqueza extraída da terra,em que se aproveitada tudo aquilo que era possível dentro dos parâmetros da força de trabalho,e riqueza que a terra nos dava!..

2 comentários:

Luis Antunes disse...

Amigo Joaquim
vi retratada fielmente nestas suas palvras a vida dura que os nossos pais tinham para poder dar alimento á familia
Ñós tambem ainda passámos todas essas privações
um abraço

Tó Luís disse...

Ao ver esta dissertação sobre os oleiros não quero deixar de chamar a atenção também para os comerciantes de loiça que, como o meu pai, Jaime de Oliveira, passavam dias e dias fora da terra e da família para venderem a loiça fabricada pelos oleiros e que ele próprio, nos últimos anos de vida, também fabricou. Também foi vida de sacrifício e que muito contribuiu para a remessa de fundos para o Telhado.
Obrigado Joaquim por te lembrares destes Homens que muito fizeram poir toisdos nós.

Um abraço