quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Vale de Carantonha



Neste belo Vale conhecido por Carantonha, de terras férteis, abundava há anos atrás a plantação de trigo, milho, feijão batata, algum azeite, vinha e também a pastorícia, pelo qual a foto mostra, e deslumbra no mesmo vale, um rebanho de ovelhas do meu amigo Razouro.Dantes era assim, e são lugares que eu conheci ainda muito novo, enquanto criança, acompanhando o meu pai na exploração, à procura de barro para a indústria da olaria.
Deste maravilhoso lugar, ainda temos o privilégio de avistarmos a Serra da Estrela. São lugares deslumbrantes que nos deixam com imensas saudades da nossa meninice.

video

Carantonha

Não posso deixar de me manifestar publicamente perante o povo do Telhado, e as organizações pelo estado de recuperação, benfeitoria e estimação em que está este maravilhoso monumento, tanto no exterior como no seu interior.
E neste local segundo dizem os antigos foi o princípio do Telhado, e é neste mesmo lugar que continuamos a adorar a nossa Senhora da Rosa, no primeiro domingo de Setembro todos os anos. Os Telhadenses vêm venerar a Mãe de Deus ao lugar Sra da Carantonha.
Tive todo o privilégio de estar presente, tendo conseguido estas lindas imagens.

No Passado e no Presente




Numa pequena elevação de terreno olhando de frente à Serra da Gardunha, está situado o Telhado pequena aldeia na cova da Beira e sede de Freguesia, a qual pertence também o casal de Santa Maria, e o Freixial, este último desde 1898.
Em épocas remotas, Telhado erguia-se num vale próximo do vale da carantonha.Tida então o nome de Freguesia de nossa Senhora da carantonha, mas segundo a tradição, os seus habitantes devido a uma praga de formigas que os perseguiu e lhes devastou as culturas, viram-se obrigados a mudar os seus haveres, e a construir as suas habitações no lugar onde se ergue Telhado de hoje.
Da antiga Freguesia de nossa Senhora da Carantonha, restarm apenas alguns poucos objectos que foram encontrados soterrados e uma capela a (igreja de então), que após sucessivas remodelações chegou aos nossos dias sob a invasão da nossa Senhora da Rosa. É nessa capela pequenina que todos os anos no primeiro Domingo de Setembro, se reúnem os Telhadenses de perto e de longe, para celebrarem uma festa em honra da Mãe de Deus.
Telhado é uma freguesia antiquíssima, tão antiga que conforme a tradição, já no século IV dela foi Pároco aquele que alguns anos depois seria o Papa São Damásio.
Consta até que na dita igreja de nossa Senhora da carantonha, existiu uma lápide com a seguinte inscrição em letras góticas: Damásio Prior da Carantonha Bispo de Roma.
Ficando a cerca de 6 quilómetros do Fundão actualmente, Telhado é uma pequena aldeia de cerca de 1.100 habitantes .
É servida por uma estrada que liga Castelo Branco com Coimbra e dada a sua excelente situação é natural que com o tempo muito se tenha desenvolvido.
Tem-se mesmo notado ultimamente um certo progresso, tanto do ponto de vista industrial como ao nível de ouros melhoramentos públicos.
Em poucos anos, Telhado viu erguer as suas escolas comum magnífico edifício construído ao abrigo do plano dos centenários.
Assistiu à transformação da sua única fonte de água salobra, em três belos chafarizes de água límpida e pura, à instalação de um telefone público, à instalação de rede de abastecimento de energia eléctrica, etc.
Telhado vive permanentemente da indústria da olaria. Os seus habitantes na sua maioria oleiros, quer trabalhando em fábricas, quer trabalhando por conta própria, abastecem de louça uma grande área da Beira Baixa.
Além de vulgar louça de barro, já aqui se fabricou uma apreciável quantidade de loiça vidrada, telha, tijolo etc.
Mas a sua agricultura não é também de desprezar.
Os seus campos são férteis, e além da batata e frutas, o azeite constitui a sua principal riqueza.
Existe também aqui uma fonte de água sulfurosa, conhecida pelo nome de fonte das virtudes.Água essa já analisada mas infelizmente não explorada .

Presentemente esta fonte está praticamente abandonada o que é de lamentar, pois além de ser uma fonte de alívios para muitas doenças, seria uma fonte de riqueza para as populações.

Este texto foi tornado público num jornal, há cinco dezenas de anos.




video