quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A Casa da Família.

Por esta casa passou o sucesso  da família, e também a oficina de oleiro, e aqui existiu uma família igual a muitas que habitaram na aldeia, uma família, que no tempo da segunda grande guerra,muito trabalhou para criar os seus quatro filhos,ainda pequeninos,a Lurdes, a Arminda, o Joaquim nascido em 1944, o Américo quatro anos depois,dos zero aos sete anos,e todos seguiram o seu rumo:Era uma família,ainda hoje existem os laços de amizade e amor entre os irmãos...Os Pais ...Pois estes,há muitos anos que fazem parte da eternidade...Deus os tenha no melhor lugar do céu...Em pequenino aqui gatinhei,,saltei,cantei,chorei,dormi,e trabalhei,neste espaço que era tão acolhedor,com o carinho dos pais e dos irmãos mais velhos...Aqui se organizou uma família de bons costumes...Também toda a família trabalhou arduamente para que o futuro fosse possível para o bem estar geral de todos....Que belas recordações da minha infância...

Foi uma casa moderna para a época,hoje um pouco cansada do tempo resume-se a um lugar de espera.
E um simples texto que o narrador faz de volta a casa da família que tantas saudades deixou...Saudades da família dos pais e dos irmãos,e o amor e carinho que aqui recebi, e vivi.Na infância na adolescência e a na juventude.
Aqui porém é descrição que é predominante,sendo descrito um espaço físico,exterior,isto é era a casa do largo da praça que funcionava como especial santuário,e local de solidão.

2 comentários:

Francisco Vieira disse...

Vivencias que fazem parte de um passado. Uma vida que merece ser recordada.

Abracos

Joaquim Angelo disse...

Obrigado amigo Vieira pela visita.Outros tempos...Um Abraço.